segunda-feira, 9 de março de 2009

Um mover d’olhos brando e piadoso





Um mover d’olhos brando e piadoso,
Sem ver de quê ; um sorriso brando e honesto,
quási forçado; um doce e humilde gesto,
de qualquer alegria duvidoso;

Um desejo quieto e vergonhoso;
um repouso gravíssimo e modesto;
ũa pura bondade, manifesto
indício da alma, limpo gracioso;

Um escolhido ousar; ũa brandura;
um medo sem ter culpa; um ar sereno;
um longo e obediente sofrimento:

Esta foi a celeste formosura
da minha Circe, e o mágico veneno
que pôde transformar meu pensamento.




O texto é constituído por duas quadras e dois tercetos, em metro decassilábico, com um esquema rimático : ABBA///ABBA//CDE//CDE verificando-se a existência de rima interpolada em a, emparelhada em b e interpolada em cde. O soneto apresenta um retrato da mulher amada, onde se dá maior relevo aos traços morais. O conjunto de qualidades que lhe é dado tende a produzir uma imagem de perfeição e a não individualização da mulher. Este poema está dividido em duas partes lógicas. A primeira parte é as duas quadras e o primeiro terceto e corresponde à acumulação de atributos físicos e morais da figura feminina. Assim, são feitas referências ao “mover d’olhos”, ao “sorriso”, ao “gesto”, às quais são sempre atribuídas qualidades morais: “Um mover d’olhos brando e piadoso,”, “um sorriso brando e honesto,” e “um doce e humilde gesto,”. A segunda parte é ultimo terceto e corresponde à síntese de todos esses atributos reunidos na expressão “celeste fermosura”, que, além da beleza, remete para o carácter divino da mulher. Esta é também, metaforicamente, apresentada como Circe, ou seja, uma feiticeira que encanta o poeta como seu mágico veneno, isto é, a sua perfeição, que seduz o poeta e lhe transforma o pensamento.


Mário Carvalho e Bárbara Carvalho

3 comentários:

  1. Gostei muito do vosso blog! É muito útil para quem tem de percecer e analisar a poesia de Camões que, por vezes, é bem complicada. Obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Um excelente blogue para quem está a estudar a poesia camoniana! Muito bom! Parabéns! Continuem...!! (:

    Talvez um dia também publique no meu blogue um dos ilustres poemas de Camões...!

    ResponderEliminar
  3. Um excelente trabalho na análise da poesia de Camões!!! Infelizmente, não querendo dizer mal do trabalho feito, falta a informação crucial da vida deste poeta em que se refere que esta extraordinária personalidade era homossexual... Mas de resto um excelente trabalho, os meus parabéns a quem o realizou! :)

    ResponderEliminar